Camila Santhiago - Psicologia e Neuropsicologia Infantil

Camila Santhiago - Psicologia e Neuropsicologia Infantil

Camila Santhiago

47 3035-6958 - 47 9274-2068

Rua Frederico Busch Júnior, n.º 124, sala 703 (CISO)

89.020-400 - Garcia - Blumenau / SC

Veja no mapa
Psicologia Infantil
Você está em:
    1. Psicologia Infantil

Psicologia Infantil

Nem sempre a infância é sinônimo de um período livre de preocupações e sofrimento. Não raramente crianças chegam aos consultórios de psicologia quando apresentam problemas que ultrapassam o entendimento dos pais e da escola.

Sabe-se que dificuldades são desafios que fazem parte do processo de crescimento, porém é necessário atenção aos sinais que indicam que os problemas podem estar prejudicando o desenvolvimento normal do pequeno.

Os primeiros anos de vida de uma criança são marcados por aquisições, evoluções e desenvolvimentos extremamente rápidos. É possível de um mês para o outro, os pais perceberem novas competências e isto pode gerar grande inquietude para descobrir como é o seu filho e como ele será no futuro. Na maioria dos casos pequenos atrasos no desenvolvimento ou simplesmente uma certa lentificação do desenvolvimento de algumas competências pode gerar forte ansiedade nos pais que temem que o seu filho “não esteja se desenvolvendo dentro do esperado”.

A psicologia infantil é uma área da psicologia que possui profundos e sólidos conhecimentos sobre o desenvolvimento das crianças e o psicólogo pode, mediante técnicas e instrumentos específicos voltados ao atendimento infantil, perceber se o seu desenvolvimento está dentro dos parâmetros esperados, se está lentificado ou acelerado. Para além dos problemas de desenvolvimento há outras dificuldades que as crianças podem apresentar, estas devem ser alvo de atenção dos pais e professores, pois em determinados casos será necessário intervenção psicoterápica.

  • Problemas relacionados com a aquisição da linguagem (escrita ou oral) ou da marcha;
  • Lutos (morte de familiares ou pessoas queridas);
  • Perdas (separação dos pais);
  • Problemas relacionados com o controle dos esfíncteres;
  • Problemas relacionados ao sono – pesadelos noturnos, insônias, medo de dormir sozinha;
  • Problemas relacionados com o desempenho escolar;
  • Problemas relacionados com a alimentação;
  • Problemas de comportamento – agressividade, violência, comportamento opositor;
  • Medos (fobias);
  • Ansiedade;
  • Depressão Infantil - tristeza, apatia e indiferença;
  • Problemas de integração em grupos.


Psicoterapia Infantil

Camila Santhiago - Psicoterapia Infantil

A Psicoterapia Cognitivo-Comportamental Infantil tem o intuito desenvolver, na criança, estratégias para que ela possa lidar com o mundo a sua volta de forma saudável. Com o compromisso de ajudar a família a interagir e a participar de todos os processos de aprendizagem pelos qual a criança passará e promover o bom relacionamento entre pais e filhos.

Intervenções precoces com crianças podem evitar inúmeras situações de sofrimento psicológico, estas que podem se arrastar por longos períodos e, de certa forma comprometer a funcionalidade cognitivo-comportamental da vida adulta.

Na maioria dos casos, os encaminhamentos são feitos por pais, professores e familiares quando estes observam alta freqüência de comportamentos disfuncionais tais como: chorar, isolamento, agressividade, tristeza excessiva, ansiedade, agitação, mentir, destruir objetos, roubar entre outros. Outras situações que também podem ser ajudadas por meio psicoterapia cognitivo-comportamental são: crianças que adoecem com muita frequência, que não obedecem aos pais, que desenvolveram obesidade, que têm enurese noturna, aquelas que têm dificuldades de aprendizagem ou de atenção.

O atendimento psicoterápico é feito de forma delicada e lúdica fazendo com que a criança sinta-se à vontade e segura através de atividades adaptadas de acordo com sua faixa etária tais como: pinturas, desenhos, jogos e histórias, com o objetivo de criar uma relação de confiança e afeto entre a criança e o terapeuta. Nas sessões a criança tem a oportunidade de falar abertamente dos seus medos, seus sentimentos, pensamentos, desejos e o terapeuta observar seus comportamentos, podendo assim desenvolver na criança novas habilidades comportamentais.

Na psicoterapia cognitivo-comportamental o trabalho do terapeuta infantil não acontece somente com a criança, estende-se aos familiares e à escola. As diversas relações que a criança cria com as pessoas que fazem parte do seu dia-a-dia são de suma importância no processo de aprendizagem. Desta forma pode-se afirmar que para haver mudanças comportamentais na criança, os familiares e as pessoas que fazem parte do seu convívio diário também estejam aptas à mudanças. Durante todo este processo os pais são peças fundamentais no foco de intervenção e é sua tarefa observar nos seus filhos em quais situações ocorrem tais comportamentos e as suas consequências, tentando criar relações funcionais que serão discutidas com o terapeuta.

Uma infância vevenciada de forma saudável é essencial para o desenvolvimento pleno da vida adulta. Diante das inúmeras mudanças sociais e familiares que temos enfrentado atualmente, é fundamental que o adulto esteja atento às necessidades psicológicas das crianças. Ao sinal de dificuldades, o processo terapêutico pode ser um grande aliado no resgate da saúde mental das crianças e das relações de afeto entre pais e filhos.


Avaliação Psicológica

Camila Santhiago - Avaliação Psicológica

A Avaliação Psicológica tem como principal função o diagnóstico e a compreensão de sintomas e queixas da criança/ adolescente, levando em consideração os diferentes ambientes ou contextos nos quais essa criança esta inserida, a sua dinâmica familiar e relacional e as características do seu desenvolvimento emocional e cognitivo.

A demanda de avaliação psicológica de crianças está frequentemente presente na rotina profissional do psicólogo, especialmente nos contextos clínico e educacional. Somente o psicólogo está habilitado para realização da avaliação psicológica, bem como utilização de instrumentos psicométricos. Para além do aspecto diagnóstico, a avaliação psicológica infantil pode ter um papel de prevenção, uma vez que possibilita precocemente a identificação de condições que podem trazer consequências para o desenvolvimento ao longo da vida.

O processo de Avaliação Psicológica consiste em um número limitado de consultas, iniciando coma a realização de uma entrevista com os pais, observação direta do paciente, aplicação de inventários de comportamento para pais, professores e criança e a utilização de instrumentos de avaliação cognitiva, neuropsicológica e pedagógica.

Ao final do processo de avaliação será feita a devolutiva dos resultados por meio do Relatório de Avaliação Psicológica, através deste poderão ser traçadas estratégias de reabilitação da criança, quando necessário encaminhando-a a outros profissionais especializados tais como: Fonoaudiólogo, Psicopedagogo, Terapeuta Ocupacional dentre outros.

A maioria dos pedidos de Avaliação Psicológica são formulados pelos pais e/ou professores da criança e relacionam-se com dificuldades escolares (baixo desempenho) e suspeitas de sobredotação, em crianças com idades compreendidas entre os 3 e os 16 anos de idade.

Principais instrumentos utilizados na Avaliação Psicológica:

  • ESA - Escala de Stress para Adolescentes
    ESA - Escala de Stress para Adolescentes - A necessidade de criar um instrumento adequado par a medir quantitativamente o stress na adolescência motivou a construção deste material, para avaliação de stress na faixa etária de 14 a 18 anos, facilitando o diagnóstico para os clínicos e pesquisadores da realidade.



  • ESI - Escala de Stress Infantil
    ESI - Escala de Stress Infantil - Avalia sintomas de stress infantil. A Escala de Stress Infantil - ESI possui 35 itens em escala Likert de 0 a 4 pontos, agrupados em quatro fatores: Reações Físicas (RF), Reações Psicológicas (RP), Reações Psicológicas com Componente Depressivo (RPCD) e Reações Psicofisiológicas (RPF). Faixa etária: de 6 a 14 anos.



  • SMHSC - Sistema multimídia de habilidades sociais de crianças
    SMHSC - Sistema multimídia de habilidades sociais de crianças - O SMHSC-Del-Prette consiste de um teste para avaliação de habilidades sociais que pode, também, ser utilizado como recurso instrucional em programas educativos ou terapêuticos de promoção da competência social de crianças em faixa etária correspondente à da primeira fase do Ensino Fundamental (7 a 12 anos).



Avaliação Cognitiva e da Inteligência

Avaliação realizada com base na análise das competências cognitivas e intelectuais individuais. Determinação das áreas fortes ou fracas ou dos domínios do funcionamento intelectual da criança. Suspeitas de déficit cognitivo, dificuldades de aprendizagem em áreas específicas (dislexia, disortografia, disgrafia, discalculia), superdotação, entre outros podem ser diagnosticados através da avaliação psicológica.

Principais instrumentos psicométricos utilizados na Avaliação Clínica:

  • Escala de Inteligência para Crianças 4a. Edição - WISC IV
    Escala de Inteligência para Crianças 4a. Edição - WISC IV - A Escala Wechsler de Inteligência para Crianças – 4a Edição (WISC-IV) – é um instrumento clínico de aplicação individual que tem como objetivo avaliar a capacidade intelectual das crianças e o processo de resolução de problemas. Faixa etária: 6 anos e 0 meses a 16 anos e 11 meses. É composto por 15 subtestes, sendo 10 principais e 5 suplementares, e dispõe de quatro índices, à saber: Índice de Compreensão Verbal, Índice de Organização Perceptual, Índice de Memória Operacional e Índice de Velocidade de Processamento, além do QI Total.

  • Matrizes Progressivas Coloridas de Raven
    Matrizes Progressivas Coloridas de Raven - Teste não-verbal de múltipla escolha utilizados para aferição do Q.I.

  • Escala de Maturidade Mental Colúmbia
    Escala de Maturidade Mental Colúmbia - Fornece uma estimativa da capacidade de raciocínio geral de crianças (3 anos e 6 meses a 9 anos e 11 meses). Avalia, especialmente, capacidades que são importantes para o sucesso na escola, principalmente as capacidades para discernir as relações entre os vários tipos de símbolos.



  • TIG - Teste de Inteligência Geral Não-Verbal
    TIG - Teste de Inteligência Geral Não-Verbal - TIG-NV tem como objetivo avaliar desempenhos característicos dos testes de inteligência não verbais e possibilita uma análise neuropsicológica, a qual permite identificar os tipos de raciocínios errados e os processamentos envolvidos na sua execução, além das classificações habituais do potencial intelectual. Pode ser utilizado de forma individual e coletiva, sendo esta última para fins de seleção, pois possibilita uma classificação dos sujeitos em termos de Percentil ou QI, além da classificação da inteligência de acordo com o grau de escolaridade (Fundamental, Médio e Superior), nas idades de 10 a 79 anos.



  • TDE - Teste de Desempenho Escolar
    TDE - Teste de Desempenho Escolar - O TDE é um instrumento que busca oferecer de forma objetiva uma avaliação das capacidades fundamentais para o desempenho escolar, mais especificamente da escrita, aritmética e leitura. Indica de uma maneira abrangente, quais as áreas da aprendizagem escolar que estão preservadas ou prejudicadas no examinando. A faixa etária abrange a avaliação de escolares de 1o. ao 7o. ano do Ensino Fundamental, ainda que possa ser utilizado com algumas reservas, para a 8o. e 9o. anos.



  • TDAH - Escala de Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade
    TDAH - Escala de Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade - É um instrumento que avalia sintomas comportamentais do TDAH, em situação escolar, tendo o professor como fonte de informação. Tem a finalidade de subsidiar a avaliação psicológica e o processo psicodiagnóstico: avaliar a desatenção e a hiperatividade (sintomas primários); avaliar problemas de aprendizagem e comportamento antissocial (sintomas secundários); monitorar os efeitos das intervenções (psicológica, psicopedagógica e medicamentosa) na escola. Faixa etária: de 6 a 17 anos.



  • PROLEC
    PROLEC - é composto por diferentes tarefas que tratam de explorar todos os processos que interferem na leitura, dos mais periféricos aos mais centrais, bem como dos mais simples aos mais complexos. A principal vantagem destas provas consiste em derivar de um modelo bem fundamentado sobre o funcionamento do sistema de leitura (Dupla Rota), estando especificamente claros os processos que o compõem. Com estas provas não se obtém somente uma pontuação da capacidade de leitura dos escolares, como ocorre com as baterias clássicas. São obtidas informações sobre as estratégias que cada escolar utiliza na leitura de um texto, bem como os mecanismos que não estão funcionando adequadamente para que se realize uma boa leitura, o que é de extrema importância na hora de buscar seu aperfeiçoamento ou recuperação. Por meio do PROLEC, é possível compreender as dificuldades de leitura, bem como ter auxílio na análise do diagnóstico dos transtornos de aprendizagem.



  • BPR-5 - Bateria de provas de raciocínio
    BPR-5 - Bateria de provas de raciocínio - Oferece estimativas do funcionamento cognitivo geral e das habilidades do indivíduo em cinco áreas específicas: Raciocínio Abstrato, Verbal, Espacial, Numérico e Mecânico. Auxilia os psicólogos a tomarem decisões sustentadas na avaliação das aptidões e raciocínio geral, tais como: orientação profissional, avaliação das dificuldades de aprendizagem e seleção de pessoal. A BPR-5 foi padronizada para a população brasileira, sendo a Forma A para pessoas com escolaridade de 6ª à 8ª séries do ensino fundamental e Forma B para pessoas com ensino médio e superior.